Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2017

Querido crush

Ou você não quer conversa, ou é muito lento. Não ignora, que eu me apego.

valéria tarelho

20.10.16

Querido L

Agora que sei seu nome, não te chamo mais de crush. Você está lindo hoje, verde água lhe cai bem. Aquele aceno com a cabeça que te dei foi com vontade de mergulhar no seu abraço, mas você faz onda, finge que não me vê. A vida tem sido um amar de areia. Sigo a te querer nos olhos, como um cisco necessário. Te preciso assim, quase um incômodo. 

Espero você amanhã, a me amanhecer novas vontades. Como essas, de querer-te bem.

vt
p.s. : te escrevo da estrada, hoje você não irá me ignorar mais.

22.10.16

Querido crush

vê se você pira
e para de me olhar hoje estou toda
touch screen
e a fim
de te [a]pegar

valéria tarelho

Querido L

Vi você de relance, ou melhor, vi meio você, sentado dentro do carro. Acho que sua camisa é branca, mas você não facilita a vida destas minhas vistas cansadas. Custava sair do carro e posar para meus olhos?

Sorte nossa que sou do signo da teimosia e não desisto quando a vida me presenteia com surpresas de colorir meus dias. O desfile de camisas tem sido a maior e melhor expectativa e já tenho a escolhida: aquela vinho, cereja, beterraba, a cor do meu chá de hibisco, ou algo parecido. Bebível e comestível com o olhar.

vt

p.s.: estou aqui, você sabe onde e pensando em quem.

* imagem via Pinterest

23.10.16

Querido L

L, meu bem, será que você me lê? Não sei, mas você apareceu e confirmei a cor da camisa: branca, como as páginas da nossa fábula.
Não me conte nada, me encante, venha de vinho amanhã (por fora da calça, só para não deixar nenhuma dúvida).
vt
p.s.: Algo me diz que você é de câncer. Se for, temos chance de acontecermos do lado de dentro dos cílios.
23.10.16

Querido L

Queria falar com você. Sem plateia. Sem testemunhas do crime ( sim, deve ser contra alguma lei colocar a fala em prática). Preciso me apresentar direito e te conhecer melhor, não daquele jeito que deve ter deixado um impacto entre o cômico e o alucinado. Juro que não vivo abordando as pessoas na rua. Foi um impulso. E - temo - um estrago. 
Aguardo seu melhor tempo. Aquele, só comigo ao lado. Vamos bater recorde de silêncio. Deixo você calar primeiro.
valéria tarelho
p.s.: Me chame, assim que impossível . E dê o número do seu céu.

Querido L

Você quase acertou na cor da camisa, errou por uns cinco tons acima, mas a deixou por fora da calça, como pedi. E agora não sei se foi um tremendo acaso, ou se você leu e só confundiu o cereja-beterraba-campari-sanguenosolhos com esse azul (?), meio beringela, com riscas de uma cor que não identifico daqui. 

Acho que você nem "pesadela" que te escrevo. E eu não seria eu se deixasse por isso mesmo. Aguarde o próximo mico.

valéria tarelho

p.s. Vamos comigo ao correio às 13h? No caminho te explico o que nem eu entendo.

24.10.16

Querido L

Estou nas nuvens, só porque você sorriu e acenou. Sinal que não sou invisível, apesar das transparências. 

Só falta me dar seu número. Aí desaguo, como essa garoa que hoje inunda a varanda dos olhos. A vida é muito curta para se esquivar da chuva. Se molha!


valéria tarelho

filme de quinta

o que me irrita
é que a vida
não imita
a arte

minha sina
é amar-te
somente
em estrofes

ricas de rimas
pobres


valéria tarelho

*momento " prozack "

p.s. quem sabe um dia a gente encene um poema - clichê, com final feliz. Hoje não, porque chove no cenário que reservei para rolar ( de rir ) com você.

Querido L

Se você não aparecer hoje, o que vou dizer para meus olhos viciados em te ver? Eu não tenho seu telefone, então, leia. Ligue. Preciso te contar uma história que iremos viver. vt p.s. 981xxxx03

Querido L

Venha no sentido anti-horário, virar do avesso minha linha do tempo. Nosso presente é ímã e o futuro é imaginário . No amor e na magia. 

valéria tarelho

p.s.: Peguei um poema do passado, onde, platonicamente, te pressentia. Obrigada por ter voltado a aquarelar meus dias.

permita-se

permita-se.
tão pouco peço a você que me permeia o verso.
pernoite.
se não possui o endereço, siga sua sombra impressa em cada sílaba.
moro em uma frase mal construída, mas ofereço fibra no alimento. [desa]linho no leito. te dou meu teto. um interior aberto, para que você preencha. seja presença. mansa. imensa.
caso o medo me impeça de abrir a porta, persista.
saiba: não resisto a um argumento de fazer chover por dentro. tente outra vez. insista em gotas. e, quando dentro, deite sua voz ao pé do ouvido. venha [in]vento, precedendo as águas que irão moldar relevos.
perceba, eu te reclamo há tempos. e te recebo há tanto nesses poemas piegas.
isentos de segredos.
valéria tarelho

Querido L

Desde quinta-feira não falo com você. Ou melhor, não balbucio um "oi, tudo bem?". Ontem tropecei quando você passou por mim de carro. Quase beijei o chão. Quase. Espero que você não tenha visto, mas, lá no fundo, queria ter caído, quem sabe você parasse e desse beijinho para sarar. Rindo muito. Liga não, estou na idade da alucinação e você tem sido um colírio alucinógeno. 
Amanhã é outro dia nessa luta insana que é a vida. Talvez eu me arme de coragem e invada seu território, para te dizer umas verdades. Estas que escrevo, para te inserir dentro do meu mundo. Neutro.

valéria tarelho

p.s.: deixe seu número de telefone na minha caixa de correio. Deixam tanta propaganda lá, seria lindo encontrar algo que eu realmente precise e pretenda usar.

querido L

me espere
no caminho
que cruza
minha vida
com a tua e me pegue
nas curvas

valéria tarelho

Querido L

L, meu bem, um dia desses tomo todas as doses de coragem e solto o verbo. Trêbado. Aí você vai poder provar o léxico direto da fonte: a língua que eu calo. Destiladamente falando.

vt

p.s.: tenho palavras recém criadas para soprar no céu da sua boca e, lá, estrelar nós dois. Ainda não sei o seu número, mas é o meu.

Querido L

Eu não desisto, assim, tão de imediato, mas também não insisto e estou fazendo a Frida. Calo. Justo hoje que você está com a camisa dos fetiches, se faz de difícil? Cadê o tchauzinho (meu momento mais íntimo e próximo das nuvens que fabricam/falsificam corações)? Onde foi parar o "oi"? Ok, a distância é um obstáculo, mas eu enxergo de longe. Graças às santas lentes, te vejo. Nítido. E invejo quem pode te ouvir. De perto, bem de perto. Nem vou falar o que penso de quem tem acesso ao seu peito e ao campo repleto de abraços e beijos. Sim, odeio não conhecer seus segredos. Qual o seu superpoder?

Meu bem, te peço que acene daí mesmo uma possibilidade de aproximação. Eu sei que a gente tem ímã no olho, só quero testar se há cola no resto do corpo. Vai que.

valéria tarelho

p.s.: mon amour, a vida é muito curta para ficar no muro. Dê um pulo aqui, no meu mundo de amor e ópio. Não demore. More-me!

trilhas

totais
e tão
táteis estátuas
e tao tótens
antíteses utópicos
típicos horizon
tais
verti
cais da tribo dos trans
versais

valéria tarelho
*imagem: Pinterest

finados

enfim pó & cia muita rima pouca lágrima
pois a vida
não (ex)termina

valéria tarelho

artesanal

reciclo papel 
de trouxa
em papelão

faço origamis
do amor
que tsuru
me destes

p.s. : aceito
encomendas
para o reveillon


valéria tarelho

* imagem de "eu me chamo Kééhtlyn"

Querido L

Vou cancelar o buffet. Pretendia te casar comigo, mas você não voa no meu rítmo. Azar o seu, sou bem boa das asas. Quanta pena!
Da próxima vez que passar por mim, buzine. Esse equipamento foi feito para chamar a atenção, use sem medo de ser feliz! E seríamos, se quer saber. Felizes na poesia e na proeza, até que um ponto final nos parasse.
Sou do tempo em que um olhar era quase aliança no dedo. Daí, te noivei com minha pessoa, em pensamento. Jurei fidelidade à tua íris. Te aconcheguei sob os cílios. Agora vejo tudo turvo. Você, moço, embaça!
Ainda te espero, mas vou deixar o padre atento e não vou tomar providências para a suíte presidencial. Acho que a lua de mel irá para o brejo. 


valéria tarelho

p.s. : não me olhe assim, como fez na hora do almoço, fico na dúvida se é de fome. O fato é você que você me intriga e não entrega os pontos. Nem o número. Comprei um anel de descompromisso, mandei gravar teu nome. Vou te pedir em divórcio assim que souber para onde ligo e devolvo as flores do m…

Querido L

Dizem que sou decidida e corajosa. Também dizem que sou louca. Eu digo que finjo bem o tipo fodona e doida. Estou ensaiando desde ontem te convidar para um café para falar do tudo ou nada que seremos. 

Cadê coragem? Hoje cedo foi quase, mas eu tinha que gritar seu nome para que você virasse. A rua inteira conheceria a identidade secreta do moço de óculos (meu Clark. Quente).

Agora ficou tarde, mas caso você leia (eu duvido), apareça daqui a pouco, às 10h em ponto, no lugar onde sempre te vejo, que irei até o seu lado do mundo com um cartão de visitas: o meu melhor sorriso.

valéria tarelho

p.s.: não precisa falar nada além de sim ( para o café )

Querido L

Se nosso lance fosse um jogo de xadrez, seria sua vez de movimentar uma peça. Miquei novamente. Gorilei! O que importa é que contei algumas coisas sobre o nosso caso é até falei do nosso iminente divórcio, que só não irá acontecer se você entrar no jogo. 

Te passei a bola, dei as cartas, movi o peão, sei lá, não sei jogar nem conversa fora. O fato é que agora está em suas mãos todos os meus contatos. 

Olha aí a vida te dando um Royal Straight Flush para marcar um gol de placa. Aguardo seu xeque - mate. 

valéria tarelho

p.s.: Mexa-se, meu bem, você tem o poder de virar o jogo!



*imagem do filme O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

Querido L

Sem rodeios hoje, porque te dou a maior bola e não rola nada, então, vou direto ao ponto.
Se eu fosse você, telefonava para mim amanhã cedo para desejar bom dia. Não tira pedaço, não é pecado e ainda me fará feliz. Se quiser marcar um café, chá, sorvete, água de coco, água com gás, limonada suíça, saliva, já adianto - saltitante - que aceito, é só combinar (aliás, só eu acho que a gente combina?).
Você fica um charme sorrindo, sinto vontade de te fazer feliz. Comigo por perto vai ser sempre assim, com paz, maluquices e amor. E ainda faço cafuné no ego.

Liga. E se ficar inibido, diz alô e deixa o resto comigo. Farei o possível para te manter na linha.

Um beijo, no centro do seu sorriso.

valéria tarelho

*Foto: via Pinterest

aqui se planta

se você flor
se você folha
ou caule (se)
é indiferente
:
sempre serei
semente
e fruto quem planta
(es)colhe o futuro
que lhe pertence

valéria tarelho

Querido L

Não receber uma mensagem, já diz tudo. Você tem todos os meus números, mas ignora o tamanho da paciência. É pequena e está por uma unha. Roída. 

Me liga, antes que não exista nem cutícula para contar história. 


valéria tarelho

Querido L

Eu, que sou céu aberto, te quero com intenção de teto. E te preciso água no meu deserto. Dependendo do contexto, te espero refresco no meu jeito em chamas. Ou o manto que envolve o tempo feio (que oscila entre névoa e gelo).

Eu, que sou um poço de dúvidas, te peço: nunca me digas a que veio. Só necessito da fiel lembrança de sabê-lo. Autêntico. O mais sincero, enquanto habitaste o lado direito do meu verso. 


Valéria Tarelho

Foto: valéria tarelho

Do pó ao pó

Caí
Como chuva
Em certa alma
Seca (Fui água
Benta
De céu da boca) Até que deu-lhe
Na telha
Ser (tão)
Árida (Como era no princípio
Agora
E sempre)

valéria tarelho *momento "prozack"

Querido L

Logo agora que estávamos por um laço apertado, desatei a chorar-nos. 

Por um lapso, amo teu ignorar meus rebolados de contatos imediatos/(medi) únicos. Por outro lado, te possuo em cores. Incorpóreo. Te sei, de cor, no ponto míope de meus olhos. Possuo, como posso, desde o primeiro impacto, até este (último (?)) pranto. Sem dúvida, amo tua pessoa. Púrpura.

Pena que você nunca soube me amar(rar).

Almodóvar mandou lembranças.

p.s.: Reata, amor. Dê mais corda para eu me enforcar. 



valéria tarelho

Be happy

Estar feliz, basta. Vai além de ser. Vem. Esvai. Fixa mais, justamente por ser assim: não aderente. 

Sou de absorver instantes. Estonteantes. Exercer esse estado feliz, que surge do nada e domina o espaço (temp(l)o) com sua magia - etérea - de ser, me leva a crer: é para sempre. Tenho fé. Até o fim.

Feliz, até onde os tentáculos da memória (te) alcancem. Como ontem, que fisguei um riso em extinção. Hoje, não sei. Vou viver, para ver. 

O verão mal começou.

valéria tarelho

Voos

Gosto de quem me encontra por acaso e me segue por impulso. 
Tenho uma queda pelo abismo que pressinto na palavra "nós". 
O labirinto é só o início de toda essa paixão. E perdição.
Vem, me dê a mão. Te doo amor.

valéria tarelho

*imagem de Ana Clara Tissot, sobre texto de Felipe Arco

Neste dia

Memórias perecíveis. Existem e o Facebook é a prova. 
Quero criar uma história que não se deteriore e, no ano seguinte, seja apenas uma mostra do que foi, sem ter sido sequer um ensaio.
Será que tinta permanente resolve? Acho difícil, se o escrito for em papel do tipo desses de fax. 

Registre-se. Publique-se. Arquive-se no limbo.


Valéria Tarelho

notícias populares

O problema (maior) com o amor, é que ele faz muito barulho. O mundo acorda ao mínimo despertar desse tal amor que não se (nos) comporta. 

Quem não concorda e ainda policia, chame o síndico, os bombeiros, um exército de fiscais da paz que o amor não traz. 

Eu quero é viver em páginas policiais.

Valéria Tarelho

renovação

há este acúmulo de planos
partindo & parindo

ano a ano

há sempre um ânimo
morrendo
um novo texto
nascendo

em branco
e anônimo



Valéria Tarelho

flor e ser

por onde for
[perder-me]
quero ser seu
pare

permanecer
enquanto parecer 
achar-me


Valéria Tarelho

love

Quando não estou poesia, estou em pausa e a pauta do dia - na pior das hipóteses - é esta paz humanamente poente, quando eu pretendia ter simples poderes [como reger a sinfonia do primeiro raio de sol a embebedar tua íris].

Pode ser que logo mais, uma coragem bélica acorde o mais sóbrio e sombrio verso dos teus cílios. E meu sonho vença o duelo com maestria de flor.

Valéria Tarelho
*com minha regatinha de puro amor

the dark side

saudade 
de dar-te
(Vader)

e do teu
potente
sabre


Valéria Tarelho

Go

O mais difícil de seguir em frente é enfrentar a vontade - absurda - de voltar. Você já sabe o que existe lá, e por melhor que tenha sido esse caminho, se ele não te leva a nenhum lugar, pegue o primeiro desvio e vai. Segue. Sem olhar para trás (por mais que a saudade implore "só mais uma voltinha").
Valéria Tarelho

nada básica

Eu amo que é um escândalo! Amo ao quadrado, ao cubo. Pelos quatro cantos, amo. Declamo. Exclamo! Amo um ângulo de grau absurdo. Amo alto. Falante. Fulminante. Urro que amo, para fazer-me ouvir (lá do último) o ser amado surdo.

Valéria Tarelho

*momento "prozack"

Seus problemas acabaram

A vida seria mais simples se viesse com tutorial de como desativar os incômodos pré instalados ou adquiridos no percurso. 

Procurei no YouTube, que tem de tudo e além do que se imagina. Não encontrei. 

Vou rezar para São Google, quem sabe ele indique um passo a passo, um antivírus, aplicativo ou mesmo uma mandinga (infalível, porque já tentei até cortar os (im)pulsos).

Valéria Tarelho

Ei

Ei, menino, me dê a mão e vamos voltar no tempo. Eu te protejo dos futuros medos. Você me conta os segredos embutidos no espelho do teu olho. Mágico.
Encha as malas com ar fresco. Nenhum peso. Fujimos hoje, ao primeiro encontro dos ponteiros com o doze. Dizem que dá sorte a principiantes nessa arte de (ousar) crescer. De novo.

Valéria Tarelho

hoje

Não sei se farei sol
Se choverei
Sei que o sinal
Ver(da)de do farol
Seguirá o verso 
Livre

De peito
Alberto


Valéria Tarelho
"pensar é estar doente dos olhos" - Caeiro

*Imagem de Ana Clara Tissot

Querido L

Fico feliz em não te ver, mas saber que estás por perto. Quase que chego a tocar teu semblante (quase sempre tenso), mesmo sem ver-te ao vivo. Meu riso ficou mais genuíno, agora que voltei a apreciar a ideia de querer teu bem (onde "teu bem" faz bem a mim, também).

Vamos esquecer que não deu certo e voltemos à estaca zero. 

Muito prazer, eu sou seu futuro sonho. Incerto.

E você, moço, por que nome chamo meu eterno pesadelo?

Em tempo: quero (muito) te chamar de meu amor. 


Valéria Tarelho



*Foto de @fe.soave, via Instagram

Querido L

Ontem foi lindo te ver rapidinho. Finji que nem te ligo, mas, por dentro, estava querendo me encaixar no teu abraço erva-doce, manga longa, de algodão. Nuance de cheiro bom. Frescor.

Aparece hoje, faltando cinco para qualquer instante. Estarei ao teu alcance.

Assinado eu, que te preciso.


p.s.: Tenho um babado pra te contar.

Beijo. Me língua!



Valéria Tarelho

felicidade

forma - abstrata - de arte.
trote, performance, filme de química.
emoji que mascara a múltipla identidade.
é uma fase, mil faces, status para Face ve(nde)r melhor.
o contraste amarelo-fel da cárcere-cidade, com o ônix que alicia o fim de tarde.
o relax do detox verde-folha ​do farol. o red carpet das redes sociais . o desgaste branco-paz. home sweet home.
happiness "rapidex". gente fast-feliz inbox, pvt, direct.
felicidade à noite, sendo. felicidade até o não ser do sol.

...and so it goes.


Valéria Tarelho

* imagem via insta @artiatic_unity

Querido L

Os deuses devem estar de pileque ou saco cheio das minhas rezas e promessas. Já acendi vela pra mais de metro, rezei terço, me apeguei com santo, anjo, orixá, até com et fiz um trato. E foi tudo ao mesmo tempo: para ontem. Falando nisso, ontem foi a chuva que te manteve preso (culpa de São Pedro). Hoje foi por uma árvore que não nos vimos frente a frente.

Diz aí se alguém lá em cima não está de sacanagem! Mas tenho fé (além de febre, fome) e fama de quem teima até em "estábulo" de coma. 

Amanhã, quem sabe eu te encontre, São Jorge mate o dragão do impasse e eu te abrace, desejando um ano bom, embalado para viagem. Um 2017 comigo dentro. De brinde. Teu brinquedo. 

Um ano Kinder. Novo . Nem um pouco óbvio.

Assinado eu, na sua praia, a ver navios.


p.s.: enquanto ajoelho e (ch)oro, os deuses, santos e alienígenas devem estar gozando férias. Jogando com a minha cara, coroa, carência e solidão ilimitada.



Valéria Tarelho
janeiro/2017

*Imagem via Twitter, dos kinder ovos que apareceram em u…