leitores via feed assinar feed do blogassine textura por email

04 setembro, 2015

praticando o pé no xô

por valéria tarelho em , , ,


meu mundo
cão [you]

eu que agora
aprenda
a [te] enxotar



valéria tarelho
*dialogando com o super assis freitas




Bookmark and Share

03 setembro, 2015

orgasmos múltiplos :)

por valéria tarelho em , , , , ,


Ter poemas publicados em livros didáticos não é novidade, há alguns anos aparece um convite daqui, outro dali, mas, até então, para livros do Ensino Fundamental. Poemas como o Centopeia, Dona Joaninha e Dona Baratinha, Bolinhas de Sabão, já participaram do aprendizado da garotada na faixa dos 7 a 10 anos e AMO saber que pertenci, de alguma forma, a esse mundinho onde reina o imaginário. Mais que isso, AMO estar viva para acompanhar essas publicações, pois até bem pouco tempo, os didáticos só traziam textos de autores mortos.

A grande novidade, motivo do êxtase, do momento inefável, é ter um poema publicado em livro didático do 3º ano do Ensino Médio, ou seja, o famoso "terceirão"! Quem irá ler e debater o texto será um[a] quase universitário[a], que mágico isso!

Em 2013 autorizei a Ed. Saraiva a publicar o poema, sabendo que seria publicado em 2015. Imagine as bolhas de ansiedade. Na época já vibrei como final de campeonato, com meu time ganhando. Ok, não tenho time, mas a sensação conheço de outros carnavais (não, também não tenho escola de samba). E hoje me chega o tão esperado livro, acho até que foi como ver o filho após gestá-lo por meses a fio.

Gratidão eterna à Saraiva, às organizadoras do livro e à responsável pelo setor de iconografia e direito autoral da editora, Erika Bambrila, super gentil!

O poema publicado, "livre para voar", foi especialmente dedicado a Adriana Karnal, outra flor dessas especiais que só Deus mesmo poderia plantar em meu caminho.

Status: #felizdemaisdaconta






Bookmark and Share

delirium tremens

por valéria tarelho em , ,




a paixão
entorpece
deixa em
transe

é um elefante
pink
na estante [vítrea]
de sua sala
íntima

a paixão
é hipnose
atinge o sangue
percorre
cada artéria
come uma a uma
das suas células

a paixão
trança as pernas
cai aos pés
enxerga em zoom
carrega na tinta
inflama
entra em coma
morre

a paixão
é um porre

(garçom
mais uma dose)


valéria tarelho

*ouça aqui: ~> https://soundcloud.com/val-ria-tarelho/delirium-tremens

*imagem via Google

Bookmark and Share

ok, é quinta

por valéria tarelho em , , , ,

Bookmark and Share

02 setembro, 2015

mar

por valéria tarelho em , , , , , ,

O talento de Paulo Medeiros e minha ousadia em aceitar a parceria gentilmente proposta pelo artista, registrados nesta tela. Linda!

Tela: Mar (2005), de Paulo Medeiros (Viseu - Portugal)
Poema de Valéria Tarelho



"A vida vem em ondas como um ..."



 Aveiro Museum - jun/2015

Bookmark and Share

01 setembro, 2015

zona de risco

por valéria tarelho em


amar
é morar
em um
barraco
à beira
de um
barranco

o amor
te mantém
equilibrado

até que tenhas
os sonhos
soterrados


valéria tarelho

Bookmark and Share

lúdico

por valéria tarelho em , , , ,

Hoje espero encontrar, dentro de mim, de ti, de todos, esse ser lúdico, com cabelo tiffany, nariz de cereja, cheiro de infância e que mantém (mesmo que cresça) a poesia no olhar. E, com ele, rir. Rirmos. Chorarmos de rir, derrAMARMOS lágRIMAS de imensa alegria. Sermos, ludicamente, felizes!
Sorria, você está sendo "ludificado" !


valéria tarelho

Bookmark and Share

31 agosto, 2015

desaguando

por valéria tarelho em ,


omitir das poças
de chuva
que te amo

mentir ao mar
sobre a saudade
- um oceano -

disfarçar dos rios
o riso que rola
solto e sem motivo

fingir ao espelho
que não chorei
no chuveiro

porque te afogo
[e salvo]
há tantas águas


valéria tarelho

Bookmark and Share

edição limitada

por valéria tarelho em


nas duas versões de nossa história, certa vez houve você, solto, fora de hora. e, também, havia eu, absorta, em outra órbita.

prefiro a edição mais nova, a da errada vez [humana] em que há você, eu, o amor e uma copacabana.

(se você não sabe, sampa tem ondas e calçadão) .


valéria tarelho

Bookmark and Share

30 agosto, 2015

meu caro whitman

por valéria tarelho em , , ,


então é isso:
o que agora
você suspira
vira ouro
ou
vira ira
pira
e vira
rima
poema-flor
com fúria
uterina


valéria tarelho

Bookmark and Share