Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2015

dance conforme a música

entender
o poema
é uma arte

eu invento
tu invertes
ele interpreta
ela pensa
ser a musa

certeza
:
nós
não falamos
a mesma

letra



valéria tarelho
*tirinha do Quino


amazing

quando
ele é
lago
manso

faço
onda

para
o amor

surtar



valéria tarelho
imagem: "Heart", de Clark Little

long play

tanta coisinha boa acontecendo que já deixei à mão a armadura, escudo, elmo e um maço de velas para os anjos da guarda.
não sei como é com você, mas, comigo, um dia no paraíso é seguido de cem no campo de guerra.
espero que a vida me surpreenda e vire o disco!


valéria tarelho

por causa de você

Para essa gente amiga: da família, da infância, adolescência (inclusive meu primeiro amor), dos esportes, das artes, do trabalho, da vizinhança, das águas azuis de meu berço natal, do verde vale que me adotou; aos amigos que a poesia me proporcionou e que o livro da vida reuniu, aos que ainda não consegui sentir o calor do abraço, mas que jamais me deixaram passar frio; às minhas amoras, amores, flores, estrelas, parceiros, parceiras que são o sol (la si do mi re fa) dos meus versos, todo o amor que couber nessa vida! E, seja ela do tamanho que for, vocês são imensos!

Beijos, feliz dia!

valéria tarelho - 20.07.15
*O texto da foto está publicado no Livro da Tribo 2015


Abadá

A vida é um louco aprendizado e usa um critério - nem sempre ético - de nos ensinar seus valores e a existência em si. Certamente há alguma razão para essa efusão de fatos nebulosos, que não conseguimos captar com olhos sóbrios. A clareza talvez esteja em outra esfera. Em algum plano iluminado onde não andemos às cegas.

O melhor método "científico" que encontrei para [tentar] entender a sistemática da vida é vestir sua camisa. E seguir o trio elétrico.


valéria tarelho

diariamente

coisas que só os loucos por palavras conseguem compreender: essa necessidade insana de despi-las. comê-las. engravidá-las.


 valéria tarelho



deus ajuda

domingo às 5h
doida por café
maluca de fome
falando sozinha
rindo à toa
:
normal


minha loucura
quando não madruga
desperta cedo
de segunda
a segunda


valéria tarelho
*imagem via @biblioterapia

bem-te-quero

tem gente que é flor no chão da gente.
gente que brota, faz boa sombra, mesmo sendo só uma flor. gente flor que bebe vento e suga sol para que sua própria flor da pele se bronzeie de poesia, brilhe até no pó (como outra espécie não poderia), nos embeleze, por "osmose". gente radiante com sua face de flor, sua força de flor, sua essência de flor, sua voz de flor. feita de pétala, espinho, perfume, fama e fome. de flor e ser.


valéria tarelho
*para a flor Neusa Doretto, que doa sua bela voz aos meus poemas, como eu jamais saberia.

sem título

a graça da vida são as sardas espargidas na pele de uma orquídea.
poesia é esse olhar de conquista que a alma pontua sob a casca do dia.
também é tudo o que pinta acima da cutícula roída do inverno em flor.


valéria tarelho
*o nome da bonita aí acima é Cattleya Lagoa Doce, via Google imagens.

recuperação da espécie

Leite de pedra

Quinzinho não disse que viria. Mal tive tempo de lavar as partes que ele volta e meia visita. Não teve nem água de cheiro pro ranço do verso. O cabra parece que gosta de me ver esbaforida!

Servi-lhe assim mesmo, sem esmero: a rima curtida. Usada de sol a sol. Pensa que ele botou reparo? Chegou sem pedir licença, deitou-se e foi pra lida. Cada palavra farta foi manipulada por suas potentes patas (práticas que não ensaia, nem ensina). O que ele fez com as figuras da língua, virgem maria, essa eu nem te conto, que morro avexada!

Quinzinho é mestre em ordenhar poesia. Tô novamente de barriga, o poeminha nasce daí a uns dias.


valéria tarelho

safra de 62

fera e flor

no ventre de um poema fêmea : os dentes dele hão

valéria tarelho *imagem via Pinterest

nu

no Livro da Tribo 2015

*aproveito para comunicar que tive alguns textos e poemas selecionados para a edição 2016/2017 da Tribo :) \o/

particular

querido inverno
não me importam
os seus planos
secretos

possuo o verão
ilhado

no fundo
do olhar


valéria tarelho
*imagem via shoptiques.com - Eugenia Kim Toyo Hat

bonjour

Bienvenue dans ma réalité


Mon amour, venha à francesa, acentuando sua chegada com delicadezas. E, por favor, pontues tua permanência com gentilezas. Por trinta e uma noites, me aqueça.
E se vieres "over", de joelhos, jurando amor, aceito, mas sem exagero. Acostumei a receber-te cheio de frieza no ar austero.

Entre, Julho, a lareira está acesa.
Je t' aime.


valéria tarelho
julho, primeiro,2015

* HandDrawn Mug French Mustache Cat Paris Bonjour by BraveMoonman - Etsy