leitores via feed assinar feed do blogassine textura por email

28 julho, 2009

sol a cio, o blog

por valéria tarelho em

como anunciado no post anterior, criei um blog onde os manterei informados sobre a "gestação" do livro 'sol a cio' e hoje publiquei algumas informações sobre a coleção Alguidar, um trecho do prefácio e imagem (thumbnail) das primeiras páginas, que contém, cada qual, um design diferenciado.

link: sol a cio

Bookmark and Share

27 julho, 2009

textura news

por valéria tarelho em , , ,

1 - expirada a enquete sobre a tattoo !

após apurar os votos da enquete e os recebidos via comentários e e-mail, venceu a imagem 2, no pulso :)

~> amanhã vou agendar a 'tortura', obrigadão! ;P





2 - criei um blog (link no banner ao lado) exclusivamente para publicar as novidades sobre o livro, que está ficando LINDO!


3 - por fim, um poeminha:

auto didata

sou
cem por cento
prática

mas em matéria
de tirar
nós do peito

sou
patética

Bookmark and Share

24 julho, 2009

fissura

por valéria tarelho em


imagem de flickr.com/anitah



dear,

as unhas cresceram. querem costas. nuas.
anseiam sob elas: células.

a tua tez. tua textura.

saudade rói, honey. espera urra.
vontade arrrrrrrrrrrrrrrranha.

venha entre já e a hora agora.
e me encontre lá,

mesmo lugar
de nunca .

love,
a tua

Bookmark and Share

22 julho, 2009

I love irony

por valéria tarelho em , ,

This is just to say
[william carlos williams]

I have eaten
the plums
that were in
the icebox

and which
you were probably
saving
for breakfast

Forgive me
they were delicious
so sweet
and so cold

Matthew Macfadyen interpreta o poema 'This is just to say'

ISTO É SÓ PARA DIZER

Eu comi
as ameixas
que estavam na
geladeira

as quais
você provavelmente
guardou
para o café

Desculpe-me
elas estavam deliciosas
tão doces
e tão frias

[tradução de Virna Teixeira]

William Carlos Williams,

Poeta fundamental numa tradição de gigantes, a poesia norte-americana, em que cada autor parece estar observando o mundo pela primeira vez e inventando a linguagem poética (...). Dentro desta tradição, William Carlos Williams se destaca por sua capacidade de transformar todo assunto ou objeto em matéria poética. Daí sua atenção toda peculiar ao fugaz e ao diminuto, ao aparentemente desimportante, enfim.

"A poesia surge do mais inesperado solo... Ele continua a arrebentar rochas e rachar poemas". (T.S. Eliot numa carta de fevereiro de 1959, aludindo a um de seu poemas mais conhecidos, "Uma espécie de canção".

(comentário de José Paulo Paes publicado
no livro "Poemas". Companhia das Letras, 1987)

Bookmark and Share

20 julho, 2009

poeminha de segunda

por valéria tarelho em


foto de arquivo pessoal

mato sem cachorro

ele foi-se
eu pasto




valéria tarelho
*livro: Poemas Lançados Fora, do GUTO

Bookmark and Share

19 julho, 2009

enquete

por valéria tarelho em


fotos encontradas no google imagens

pessoas, meu lado in (insegura, indecisa, insatisfeita...) precisa de um help, então, imploro um votinho na enquete ao lado.

é rapidinho, indolor e vai fazer uma poeta feliz. sem in.

a enquete expira à meia-noite do dia 26/07.

beijos, val eus!

Bookmark and Share

outro dia de domingo...

por valéria tarelho em

update de domingo 02/08/09: o poema teve o título "alguém me adapte" trocado para "há dote".


há dote


doa-se
um domingo
abandonado
:
dócil
castrado
vacinado
vermifugado

domingo sem carrapatos

doa-se
um domingo amigo
que não estraga sapatos

tímido domingo
não late
não morde
não faz alarde

domingo de pequeno porte

ideal para passear
no shopping




valéria tarelho
* outros domingos, podem ser lidos AQUI

Bookmark and Share

17 julho, 2009

parabeijos

por valéria tarelho em , ,




esse é o theo, da vovóval (assim, juntinho, como ele repete num fôlego só).
dois anos de caras e bocas derretendo corações.



neto é o verso que tem o direito de me virar do avesso. tem licença poética para me fazer avó - lei da natureza em que não cabe veto. neto é o vento que veio por a vida no eixo certo: de pernas para o firmamento.



tudo faz sentido, quando visto por este prisma
in[contro]verso.

Bookmark and Share

16 julho, 2009

convite - poesia

por valéria tarelho



clique na imagem para ampliá-la

local:

Casa das Rosas
Av. Paulista, 37 - Bela Vista - SP
(próx. metrô Brigadeiro)
F: (11) 3285-6986
contato.cr@poiesis.org.br
www.casadasrosas-sp.org.br
Estacionamento conveniado: Patropi: Al. Santos, 74

Bookmark and Share

15 julho, 2009

textura news

por valéria tarelho em , ,

contando as horas para o lançamento de “sol a cio”, meu livro de poemas, que será lançado - possivelmente - na data de estreia do projeto “poeta em cena” (tema de um futuro post) , em 29 de agosto, 20hs, Casa das Rosas-SP .

o livro contém cem poemas, selecionados entre os produzidos no período de 2002 até meados de 2009.

conforme as novidades forem surgindo, os manterei informados, mas todos estão desde já intimados ;)

Sol a Cio
Coleção Alguidar, dirigida por Frederico Barbosa
Editora Landy
seleção de poemas: Frederico Barbosa
apresentação: Lau Siqueira
projeto gráfico: Angela Kina
autoria de uma tal Valéria Tarelho

aguardem...


Lançamento do livro "borboleta desfolhada" de líria porto (link no menu ao lado, em "elos") ~> dia 17 de julho - 19 horas - livraria quixote - rua fernandes tourinho, 274 - belo horizonte - mg


Germina Literatura, em uma edição que ousa asas

confira a edição especial da revista, que vem repleta de gorjeios: sabiás & exílios


Vídeo da homenagem a Rodrigo de Souza Leão

disponível até domingo na página de abertura do site Cronopios,
após essa data, o vídeo poderá ser acessado na página especialmente criada para publicar as inúmeras homenagens dos amigos, ao saudoso poeta.

Bookmark and Share

14 julho, 2009

all star

por valéria tarelho





anos setenta
garota
conga branca
saia de pregas
mangas longas
meias logo
abaixo das coxas

tornou-se moça
na corda bamba
mulher à beira

foi dona doida
maluca beleza
lelé da cuca
[e mais um porre
de alcunhas]

mas era uma
maria só
[pobre star] do ceará

maria sem órion
maria sem hora
maria sem guia

estrela una
fora de si
vestia um mar

despia seu
"desequibrilho"

- a girar a girar a girar -

canta maria
em céu
só seu

um nada
sóbrio
serestar


valéria tarelho
à maria cearense, uma lenda, uma estrela

Bookmark and Share

09 julho, 2009

update - Rodrigo de Souza Leão

por valéria tarelho em , ,

Amigos do poeta realizarão leituras e performances musicais, no entanto, o sarau é aberto para todos que quiserem participar prestando sua homenagem.

O evento será hoje, 19hs, na Casa das Rosas e transmitido ao vivo pelo site Cronópios: http://www.cronopios.com.br



clique para ampliar

Bookmark and Share

07 julho, 2009

homenagem ao Rodrigo - programação

por valéria tarelho em , ,

lista atualizada (até o momento) com o conteúdo da homenagem a Rodrigo de Souza Leão (vide post abaixo) :

Claudio Daniel : Texto próprio e poemas do livro Caga-Regras (páginas 15, 28 e 43)

Donizete Galvão : A velha, A velha II do livro Há flores na pele

Franklin Alves Dassie : ?

Frederico Barbosa : Surtomania / Mallarmé / Resumo

Glauco Mattoso : Exibição de faixa musical e comentários

Greta Benitez : ?

Horácio Costa : Texto próprio e trecho final de Todos os cachorros são azuis

Leonardo Gandolfi : Trecho do romance inédito Me roubaram uns dias contados

Luiz Roberto Guedes : Texto próprio e trecho de Deus não: deuses, de Todos os cachorros são azuis. Apresentação do cd do DJ Krâneo, pseudônimo musical de Rodrigo.

Marcelo Ariel : Texto próprio

Márcio-André : Intervenção musical - fragmentos do livro Todos os cachorros são azuis e Caga regras

Marco Antônio (Pezão): Poema Pai-Nosso

Paula Valéria : Poemas do Rodrigo postados no blog, no último mês de vida dele

Pipol : ?

Paulo de Toledo : Exibição de PowerPoint - conjunto de poemas feitos a quatro mãos por Rodrigo de Souza Leão e Paulo de Toledo

Tatiana Fraga : Trechos de entrevistas

Valéria Tarelho : Poemas de R.S.L.

Virna Teixeira : Trechos do artigo Mais afeto com os loucos

Bookmark and Share

poesia brasileira perde um de seus expoentes

por valéria tarelho em , ,



Rodrigo de Souza Leão, um dos mais significativos poetas contemporêneos brasileiros, morre aos 43 anos, vítima de ataque cardíaco.

Por Tatiana Fraga


Sites de literatura, blogues, twitter e orkut publicam notas e depoimentos pessoais sobre a morte do escritor Rodrigo de Souza Leão, conhecido pelos poetas quase sempre virtualmente, já que Rodrigo pouco saía de sua casa, e a internet foi seu principal canal de comunicação com o meio literário.

Rodrigo de Souza Leão começou a escrever aos 18 anos e publicou dois livros: Há Flores na Pele (Poesia, 2001) e Todos os Cachorros são Azuis (Prosa, 2008), além de inúmeros textos na internet. Na net, começou publicando o e-zine, Balacobaco, que circulou por quase seis anos; depois veio o site Caox, a revista Agulha, a Germina Literatura e a revista Zunái, que editava com o poeta Claudio Daniel, além de seu site pessoal, o Lowcura (www.lowcura.blogspot.com).

Rodrigo tinha diagnóstico de esquizofrenia, tema que frequentemente levava para seus textos. “Nós vivemos em tempos esquizofrênicos. Muita gente tem depressão ou síndrome do pânico. É uma sociedade que está doente porque dá valor ao que não se deve: o dinheiro. O ser humano viveria muito mais se parasse com essa babaquice de querer dominar o outro”, declarou ao site Portal Literal em novembro de 2008. Entrevistou também diversos escritores, publicando boa parte da produção da nova literatura. “Rodrigo foi um fenômeno da internet. Quase sem sair de casa, tornou-se conhecido no meio literário por aproximar os escritores e as tendências mais diversas. A literatura brasileira fica menos solidária, menos generosa e muito mais triste”, lamenta o poeta Frederico Barbosa.

Rodrigo de Souza Leão dizia que torcia para que existisse algo depois da morte “para ver o que as pessoas acham de mim quando eu estivesse morto. Para saber se meu melhor amigo iria chorar, se alguma namorada ia lembrar de mim, se meu livro ia vender depois de morto... Porque depois que morre todo escritor vende”. Sobre os livros, não sabemos, Rodrigo, mas seus amigos estão chorando.


Depois da morte
Se pudesse decidir pra onde ir
Riria



HOMENAGEM

A Casa das Rosas fará uma homenagem ao poeta Rodrigo de Souza Leão, falecido no último dia 01no dia 09 de julho, quinta-feira, às 19 horas.

Com a presença dos poetas Claudio Daniel, Donizete Galvão, Franklin Alves Dassie (RJ), Frederico Barbosa, Glauco Mattoso, Greta Benítez, Horácio Costa, Leonardo Gandolfi (RJ), Luiz Roberto Guedes, Márcio-André (RJ), Marco Antônio (Pezão), Paula Valéria, Pipol, Paulo de Toledo, Tatiana Fraga, Valéria Tarelho e Virna Teixeira.

fonte: Casa das Rosas: Av. Paulista, 37 - SP

Bookmark and Share

02 julho, 2009

convite para uma exposição

por valéria tarelho em , , ,



de 03 a 26 de julho - Casa das Rosas

As artistas plásticas Cassia Aresta, Heloísa Ruiz Pereira, Vera Pamplona, Rosa Grizzo e Helenita Peruzzo, imersas nas palavras de Cecilia Meireles, usam a imagem da rosa como fio condutor de seus trabalhos, criando a exposição O Sexto Motivo da Rosa.

MONITORIA

de terça a sábado, das 10 às 18 horas

Com Fran Alencar, que contextualiza a vida e obra da poeta, enquanto apresenta a exposição.


* há um poema meu ilustrando a exposição.

Casa das Rosas
Av. Paulista, 37 – SP
(próx. metrô Brigadeiro)

Bookmark and Share