leitores via feed assinar feed do blogassine textura por email

30 agosto, 2007

som ri sal

por valéria tarelho

que te desmanches suave
na mistura de seivas
que sua um final de tarde

se o suco da chuva
sucede à seca do pôr-do-sol
que te diluas [som]
em cromáticos semitons

e se acaso a lua
oscilar tua firmeza
nas ressacas
que a maré provoca
:
que te dissolvas
:
na certeza das águas mansas
na serena dança das ondas
na branda espuma de um poema

seja essa paz no horizonte
uma efervescente
saudade sua

que por ocaso
me inclua


valéria tarelho

Bookmark and Share

27 agosto, 2007

castelos

por valéria tarelho


pintura: "só ruínas" © ana de medeiros


molda-se
- justo -
aos meus desmandos

adapta-se
ao feudo
de meus medos

avassala
meus domínios

doma
meus demônios

mina
minha desmedida
insânia

....

ganha
meu reino

abandona a rima
em ruínas


valéria tarelho

Bookmark and Share

24 agosto, 2007

impertinente

por valéria tarelho

meu amado
tem nome
sobrenome
endereço fixo

rg cpf cnh
título disso e daquilo
cartão de banco
de crédito
de ponto

o que mata
nesse cara [vivo]
é o atestado de óbvio
:
casado

[ aos tantos dias
de tal ano
se uniram
em matrimônio
fulana - ela -
e beltrano

- esse elemento
cheio de números
inúmeros papéis

e - naturalmente -

ao meu conjunto
não pertence ]


valéria tarelho

Bookmark and Share

20 agosto, 2007

inverno

por valéria tarelho

descolar a retina
do clima
perder o tino
em outro outono
atear fogo em
folhas nuas
frases fakes
filmes de quinta

arder dutras distâncias
queimar sennas urgências
incendiar ene estações

suar
na ânsia da sua [fria]
paulicéia


valéria tarelho
** tem post novo no impura poesia.

Bookmark and Share

18 agosto, 2007

rapidinha

por valéria tarelho

inaugurei ontem o impura poesia, com um poemínimo.

Bookmark and Share

dangerous

por valéria tarelho


letra: valéria tarelho
música e voz: denise dalmacchio
violão: marcos de assis




para o nosso bem
é bom que você fique aí [bem aí]
exatamente onde a gente
se desencontra:

eu, no seu canto [mudo]
você, no meu cantar [silente]

sigamos em frente
retas paralelas
ao invés de vias curvas
rotas tortas

pois sempre que a gente abusa
e cruza
causamos acidentes
e múltiplas fraturas
expostas

Bookmark and Share

17 agosto, 2007

matheus

por valéria tarelho em ,


... o menino dos meus olhos ...

Bookmark and Share

bodas

por valéria tarelho

entrar no outro
atento
testar o sabor
do tempo

suaves rugas
rusgas acres
o ponto fio
dos segredos

estar então
ficar no entanto
permanecer
ainda que

enquanto houver sazón
amar até


valéria tarelho

Bookmark and Share

16 agosto, 2007

game over

por valéria tarelho

ficamos no quase
esse impasse
placar de empate
lance na trave

ficamos na base
do quem sabe
sem chute no balde
sem marcar um point

nosso [online] love
deu tilti antes
da próxima fase

...bônus...

imprevisto

na certa
é amor
ou
quase isso

[disse a carta
do tarô]

...

búzios
oráculos
horóscopo
até no céu
estava escrito
:
é amor
ou
quase que

...

acreditou

...

e se ferrou
bonito


valéria tarelho

Bookmark and Share

14 agosto, 2007

de campos e espaços

por valéria tarelho


imagem © elizabeth perry


onde você
se esconde
neste céu de
asteriscos
asteróides
lixo
?
cadê você
quando pisco
despisto o medo
enquanto mudo
o disco
discretamente me dispo
?
seu rastro passa
em que planeta
em qual galáxia brilha
sua última poesia
?
se há risco
de chocar-se
comigo [poeta]

cometa !


valéria tarelho

Bookmark and Share