leitores via feed assinar feed do blogassine textura por email

19 novembro, 2015

por tanto isso

por valéria tarelho em , ,



isso, que chamo de amor, só sei sentir por ti.

isso, que é chama e água fresca, que é sol a pino e sombra, que é prazer e o pior tipo de dor, que é vida em mim e o fim da minha paz, tem teu nome e [a]feição.

isso tem teu endereço e idêntico esconderijo. isso tem teus olhos me sorrindo e atraindo desde menino. isso tem teus braços, aninhando, junto ao peito, meus suspiros [e sonhos, com o recheio possível].

isso tem deus dedos de midas, dourando minhas pílulas. tem teus ares - ardores - de marte (vênus que o diga). tem teus modos de homem: que morre de amores. em mim.

portanto, vida, se isso (que insisto) não for amor, te faço um pedido: releve.

e se isso for uma febre, quem sabe, um vício ou um antigo feitiço: que não se quebre


o enquanto.


valéria tarelho

Bookmark and Share

Um comentário:

Anônimo disse...

exata... rara e consistente.



vVv