Pular para o conteúdo principal

pois é

E o que dizer da poesia? Essa que me alucina e alicia. Essa que me devora. A mesma - fera - a quem sou devota.
O que dizer da poesia que me fere e assopra? Da poesia que me chega, e me cega, me clareia? Da poesia que me exclama e interroga: "e agora, o que vais dizer em nome desta, que te ama e te mata a cada novo poema?"


valéria tarelho

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

despertar

Amores e amorinhas que seguem meu blog, desculpas duplas: pelo mofo da humilde residência abandonada e pela avalanche de atualizações que farei em junho. São cinco meses de bla bla bla para publicar, tenham paciência,  compreensão e muito "amô" por mim.

Beijos, beijos!

Val