leitores via feed assinar feed do blogassine textura por email

19 novembro, 2015

"o tempo passou na janela"

por valéria tarelho em , ,




Depois dos 50 e de um câncer, também adquiri uma certa urgência.

A idade faz com que você pense nas relevâncias e as priorize; a doença te lembra que a vida é efêmera e o que não for para já, pode ser que não aconteça. Nem em Júpiter*, como preconiza a música.

Meu tempo é escasso, meu prazo tem um termo, minha paciência para determinados assuntos está por uma gota; para outros, esgotou. Secou a fonte.

Virar algumas páginas, queimar etapas, pular fases desnecessárias, não significa que desisti. Pelo contrário, insisto e resisto até o fim, só não me permito ao luxo do desperdício de meu tempo. E só eu sei o quanto ele me é caro e não o valorizei como deveria. "Mea culpa, mea maxima culpa".

Dormir no ponto, só se for no final de um exaustivo capítulo, para logo despertar e dar início a um (uni)verso. Em um novo livro.

Carolina, uma vírgula! (até que daria um bom título)


valéria tarelho

título : trecho de Carolina, do Chico

*menção sobre "o que não é para já, talvez seja para Júpiter ", trecho de Note, autoria de arrudA e Peri Pane


imagem: trecho de letra dos Engenheiros do Hawaii, via Pinterest

Bookmark and Share

3 comentários:

Anônimo disse...

Show :]



vVv

valéria tarelho disse...

can say :)

Anônimo disse...

ahaha.

Super

vVv