Pular para o conteúdo principal

poema para os poros do ocaso


eis
a segunda pele
que me envolve
em fim de sol
:
tua tez

película lúcida
que molda-se
à tônica
dessa minha
natureza

louca


valéria tarelho
29.06.15

Comentários

Ricardo Mainieri disse…
Se tua natureza fosse certinha, Val, não teria graça. Teu brilho como pessoa é o diferencial. Salve a todos que não participam da merdiocridade cotidiana. Beijão. Ricardo Mainieri
valéria tarelho disse…
Acho que poeta algum bate muito bem das ideias...gostar de letrinhas, que doideira!! rsss

Bj

Postagens mais visitadas deste blog

despertar

Amores e amorinhas que seguem meu blog, desculpas duplas: pelo mofo da humilde residência abandonada e pela avalanche de atualizações que farei em junho. São cinco meses de bla bla bla para publicar, tenham paciência,  compreensão e muito "amô" por mim.

Beijos, beijos!

Val