leitores via feed assinar feed do blogassine textura por email

17 dezembro, 2013

poemas para mim :)

por valéria tarelho em , ,



FRONDOSA 

Para Valéria Tarelho



O dia me amanhece arbórea,
tronco arqueado, esgotada de seiva,
ainda em busca da renovação nas estações da palavra.

Não há invalidez nas plantas.
Os tantos galhos secos simplesmente se partem,
sem questionamento.
Apenas consideram seu papel no todo.

Meus olhos despertam secos.
É preciso chorar pétalas,
derramar floradas de versos,
me refazer frondosa.

Sou milenar em cada rima,
secular em cada olhar,
rotina de gestos e sentidos.

É tempo de maturar o fruto,
estufa de quereres,
aguardar, com a sabedoria das árvores, 
a colheita da poesia.


shampooema

de Valéria 
a "do Tarelho"

seus poemas
crescem nas pontas
da (c)alma

tento apará-los
com mãos leitoras

a palavra ondulada
a palavra lisa

tento apará-los
com os ventos sorrindo

como cabê-los
de tanta poesia

(Al-Shaer 
para Valéria Tarelho sarar logo, com c-AL-rinho)


miro 
(para Valéria Tarelho)


te admiro pelo o que tu és
pois que és bela 
poesia nua em pelo
cuca fresca

pareces uma pintura
um afresco
ornado em olhares
brilhos solares

a vida é isso
e o que mais seria?

ser estar poético
atlético em ebulição
seja o que tu és:
Xtra Large !


virtualmente 
o real-mente


só o real aqui
ensaia
um tropeço
nas palavras
que não digo
mas que digo

virtureal
eu prefixo

e revisto
que te amo
-na poesia-
lá onde o poeta sobrevive
em cada letra
de pesar e valentia


de dedos 

(de Ivo Ribeiro para Valeria Tarelho)

a tua poesia tem tex-
-tura, sim 
tem suavidade

como se as palavras
{grávidas de som}
somassem 

mão + mar + salto de muros + e +
até encontrar impossivelmente
o teu infinito
repentino

como se as palavras brotassem
por fim
o filho poema

e a essência incansável da textura 
da tua nudez
muda

expli(cita), cintilasse.





*imagens via Pinterest: Obrigada e Post dividers



Bookmark and Share

Nenhum comentário: