Pular para o conteúdo principal

bélico horizonte


tens meus mapas
minhas senhas
palavras secretas

                                 sabes de cor as manhas
                                 desta terra velha
                                  [de guerra]

campo paulista
que cultivas
plantando minas

                                 [e outras manias
                                 ge[ne]rais]



valéria tarelho

Comentários

Dilmar Gomes disse…
Amiga Valéria, bendito poder da síntese, que possibilita dizer coisas lindas com poucas palavras.
Um abração. Tenhas uma linda semana.
meninanosotao disse…
Eu confesso que não sei comentar poesia. Sei apenas quando um verso me alcança ou não. Suas linhas me permitiram um olhar para além de algumas lembranças do tempo em que estudei no interior do estado.

bacio
Leonardo B. disse…
[o corpo da palavra, sem fronteira

é rascunho de horizonte, sulcado mapa que traz o corpo]

um imenso abraço, Valéria

Leonardo B.
Rosangela disse…
Muito bom Valéria!
Anônimo disse…
Bela declaração!!!

H