leitores via feed assinar feed do blogassine textura por email

19 julho, 2011

subjetivo

por valéria tarelho em ,



vale vasto
vago vácuo
onde verso
viro vivo

são josé
dos campos
que versejo
- invisível -

invisto
invento
invalido
o prefixo
:
visto
vento

vale [nave]
me leva
que eu voo


valéria tarelho

*imagem: Esquadrilha da Fumaça, na tarde do último domingo, no encerramento da Expo Aero Brasil, realizada em São José dos Campos no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA).
Foto de Adenir Britto.


** poema publicado no Vale em Versos, em 12.12.10

Bookmark and Share

4 comentários:

Anônimo disse...

...uma declaração de paixão pelo Vale?

o Vale deve se sentir lisonjeado (e a recíproca com certeza é vera).

valéria tarelho disse...

Na verdade, anônimo, há uma declaração de paixão, mas é velada. Evidente mesmo é o grito de "eu existo".
O Vale é um caso de amor platônico ;)

Anônimo disse...

os céus não devem duvidar que vooê existe.
os meros mortais, talvez.

NDORETTO disse...

O vale da sua poesia, campos do afeto; um bom José pra amar a mulher que você é.________________Beijos,comadre