leitores via feed assinar feed do blogassine textura por email

18 dezembro, 2010

liter_atura

por valéria tarelho em ,

                        [ao leitor]

só há uma lei
nesta página
de ninguém

aqui onde
rima reina
à rédea curta

onde razão
confunde-se
com rasura

nada além
da lei
tu[r]a


valéria tarelho
Safe Creative #1012188091908

*ins_pirado no Ricardo Silvestrin

Bookmark and Share

11 comentários:

Í.ta** disse...

gosto muito muito dessas desconstruções de palavras e sentidos.

muito bom!

tem um pouco do velho graça lá no um-sentir.

beijos!

Dilmar Gomes disse...

Muito bom, amiga Valéria.
Um grande abraço.

valeria soares disse...

Sempre gosto do que leio aqui.

Bom domingo!

Leonardo B. disse...

[para os livros, para as palavras, para um reino indistinto, já Kafka pensava que "apenas se deveriam ler os livros que nos picam e nos mordem. Se o livro que lemos não nos desperta como um murro no crânio, para quê lê-lo?"... assim, aos livros, assim ao texto que se aguarda na margem da página.]

um imenso abraço, Valéria

Leonardo B.

Colecionadora de Silêncios disse...

Valéria, minha querida, vc é genial!

Um dia eu ainda quero fazer poesia com a mesma mestria com que vc conduz seus veros. :)

Fico fascinada pela sua escrita!

Beijos, Flor, e o meu imenso desejo de que o seu Fim de Ano seja repleto de amor e paz, junto aos seus.

Anônimo disse...

Um deleite...

Mirze Souza disse...

Valéria!

Adoro suas des-construções que constroem.

Fantástico!

Beijos

Mirze

André hp disse...

Sinto-me advertido ao ler, valéria.

abraço.

Anônimo disse...

Feliz Natal, menina poesia...

viral

NDORETTO disse...

Tarelho, estou "aguniada" com sua ausência. Dê notícias !!!! Abraços,Neusa

Emoções disse...

Da boca dos poetas mais amadores saem as palavras mais belas e puras,mesmo que poucas e curtas são palavras que gritam de um coraçã que ainda tem esperança.