Pular para o conteúdo principal

a leaf falls


loneliness - e e cummings
deviantart.com

outono
tão eu
: nos neut
ros tons, no
morn
o das mão
s nos timbres secos.
eu, outono: do desprendimento forçado, ao arrefecimento. lento.
outono sou eu, sorrindo amarelo-feno. eu, atônita, somando os entes que fluíram ao vento.
eu, april leaf, que, não demora, se queda. forra o chão onde pisam os de estação menos sépia: humanos? autômatos?
eu, 'outânatos'. âmbar à tona do olho. alma ômega.
alone. como um poema de cummings.


valéria tarelho

Comentários

sidnei olívio disse…
Outono. Sempré é outono no meu coração. Beijo.
Guto Leite disse…
É lindo este poema, Val. Exigente e lindo! Gosto muito quando você vai em busca do melhor do teu talento (evidente) e não se preocupa em agradar o leitor, em seduzi-lo com a multidão da palavra. Olha este poema! Não deve nadinha ao cummings. Beijos de sempre
valéria tarelho disse…
sid, te "outonomamo", companheiro!

==

guto, mesmo que eu não venha a escrever mais nada que se aproveite, já me sinto recompensada :)

** andei compartilhando poema de vocês no Google Buzz

beijos, meninos!

Postagens mais visitadas deste blog

despertar

Amores e amorinhas que seguem meu blog, desculpas duplas: pelo mofo da humilde residência abandonada e pela avalanche de atualizações que farei em junho. São cinco meses de bla bla bla para publicar, tenham paciência,  compreensão e muito "amô" por mim.

Beijos, beijos!

Val