Pular para o conteúdo principal

amor com amor se [pro]paga

O melhor de escrever, não é ser lido; é provocar no outro um alvoroço. No caso, o rebuliço resultou nesta maravilha, da amada flor-de-lis[ieux].
Amem!


TE AMO (com certeza!)
lisieux

Te amo súbito
em decúbito
dorsal
infinitesimal
partícula
universal
te amo maré
como onda,
de pé
ou gota de nada
que escoa
destoa
em seco rincão

te amo inundação
vendaval, tsunami
vulcão, terremoto...
te amo de moto
ou de lotação,
te amo metrô,
na pista, atleta,
ou de bicicleta,
lutando sumô...

Te amo velada
ou escancarada
sem porta, barraco
no alto do morro...
te amo cachorro
te amo revolta
e raiva escondida
te amo buraco
de bala perdida

Te amo sem prumo
e sem direção
te amo estação
parada de trem
te amo, bem sei
não tem jeito não
sem marco, sem rumo
sem meio, sem fim

te amo assim,
total destrambelhada
sem senso, sem nada
sem norte e sem lei
e nunca serei
responsável por mim
porque te entreguei
meu cérebro, entranhas
ideias estranhas
sentimentos vis
doçuras e manhas
desejos febris

te amo demente
inconstitucionalissimamente
de tras para frente
do lado do avesso
sem fim, nem começo
de dentro pra fora
sem dia, sem hora
deserto e jardim...
te
amo
e
fim.

* Inspirado em "Te amo (acho)", de Valéria Tarelho,
minha linda e inspirada amiga, de quem sou fã de carteirinha.





Te amo (acho)

eu te amo
torto
errado
do avesso
te amo acelerado
a mais de cem
na contramão
amo-te
porque és contravenção

eu te amo
do meu jeito imperfeito
: te amo sim
te amo não
te amo sei lá como
e por que não?

eu te amo
por vício
ócio
tédio
tentação
e te amo por preguiça
porque não tem remédio
e o perigo me atiça

eu te amo
por tabela
pelas beiras
nas quebradas
ribanceiras
juro que te amo
por puro ataque de bobeira
e por qualquer bagatela

eu te amo
anti-horário
em outro fuso
fora de orbe
te amo desnorteada
sem rumo
entregue à sorte
de amar-te fora do prumo
(devolve o Norte
da minha bússola!)

eu te amo
vassala
gueixa
escrava
te amo sem queixas
sem mágoas
sem receber minha paga
em amor
(quer saber? eu te amo mesmo
é prestando um favor!)

eu te amo
no outono, os ramos secos
no inverno, o gelo
na primavera, os espinhos
no verão...
ah! no verão não te amo não
: você é liquefato
e te amo pedra no meu sapato

eu te amo
másculo
rato
inseto
te amo só de longe
(que, de perto, sinto asco)
te amo, também, porque não presto

eu te amo
fração ordinária
te amo logaritmo
(só porque o nome é feio)
eu meio que te amo
porque inteiro, é excesso
e você escassa
por isso te amo a falta
o pouco
o naco de nada

eu te amo
por um ano a fio
(que a vida toda é um saco)
te amo parco
(que muito, é porre)
eu te amo como quem morre
de infarto

eu te amo
fora dos trilhos
dos eixos
de tudo que se encaixa
e se completa
e te amo aos solavancos
: soluços são estribilho
no meu poema manco

eu te amo
emralhabado
sopa de letras insossa
palavras cruzadas
sem banco de respostas
te amo assim
: destemperado
complicado e tosco

eu te amo
muito mal e sem igual
de um jeito diferente
: sem cor, ação, som
e te amo mais
quando você mente, coração

eu te amo
andarilho
maltrapilho
esfarrapado
(convenhamos, você é lindo engravatado
: fora do meu padrão)

eu te amo
como uma frase feita
um dilema
um estratagema
: digo que te amo
como quem não ama
e amando, não amando
vou à luta armada
deixando-te na dúvida

eu te amo
o modo inacabado
impaciente
debochado
amo quando calas o que sentes
amo, ainda, quando engulo
orgulho e grito

eu te amo
ou finjo
invento
inverto os fatos?
(há tanto tempo minto
que nem seino que acredito)

resumindo
: eu te amo
(se não me engano)
e duvido que outra tonta
te ame tanto


valéria tarelho
janeiro/04

Comentários

Anônimo disse…
Há um Happy Birthday hoje.

E felicidade prá nós que a recebemos de presente, prá sempre admirar.

vir...a-l
lisieux disse…
que bom que vc gostou! Penso como vc: adoro quando alguém se inspira no que eu escrevo e faz a sua releitura pessoal.
Vc é d+, amiga.
Obrigada pelo carinho

bjokas
lis
valéria tarelho disse…
Viral e sua boca imensa. Só vc e minha irmã, que me entregou em garrafais no orkut.
Niver de quem? onde? sei de nada disso...hahaha.
Beijo, querido [e bocudo] amigo!
valéria tarelho disse…
Lindalis, como te disse, recebi seu poema como um presentão dos céus. Fico feliz por - indiretamente - ter participação nessa sua mega produção.

Beijão, amada!
Shirley Carreira disse…
Parabéns, Val. Beijos da fã número um.
Shirley
valéria tarelho disse…
Shirley, minha querida, quanto tempo!!! "Fã número um" e número último, porque sempre me acompanha e faz dessas boas surpresas ;)

Beijão, linda!!
Amei o diálogo poético!
Tão bom quando acontece...

Beijo doce de lira!
NDORETTO disse…
Foi uma delícia ler isso!!! Poema Delicioso!!!

bjs,neusa

Postagens mais visitadas deste blog

despertar

Amores e amorinhas que seguem meu blog, desculpas duplas: pelo mofo da humilde residência abandonada e pela avalanche de atualizações que farei em junho. São cinco meses de bla bla bla para publicar, tenham paciência,  compreensão e muito "amô" por mim.

Beijos, beijos!

Val