Pular para o conteúdo principal

gestos

tem gente que não existe. eu sei que não, ninguém me disse. são soldadinhos de papel crepom, bonecas de fondant, super-heróis de bolha de sabão, bailarinas de seda, poetas de algodão doce. de noite, só de noite, à meia lua, quase existem. eu sei que sim.

tem gente, assim, etérea, que desmancha a gente [que se acha pedra].
essa gente-lume, tem dedos de delicadeza e olhos de sorrir gentilezas. gente que "luziluzeia". e, com o mínimo gesto, é farol. e gestos de gente-sol dissolvem rudezas que serpenteiam ao redor da gente [que se sente pó].

palavra. garanto que vi gente-flor pairando na pauta musical de um céu poente. estava nem escuro, nem claro no dia que vi a oitava cor do sonho. mágico, ver gente-íris. que não existe. mas juro que há. juro, sim.

para a Jura [cheia de] Cy, que me "poesiou"


Declaração Pública de Ternura
[Juracy Ribeiro, do jura em cy bemol]

valéria t.
t. de textura
telúrica tenaz
valseira

t. de trilha
trama perfeitos poemas
assim a vejo
pão-pão, queijo-queijo

valéria tarelho
espírito velho
um corpo textual
tarimbado

Comentários

Juracy Ribeiro disse…
"Quem entra num poema não morre nunca" Mário Quintana.
Você, para sempre eternizada no meu coração e na minha poesia.
Tua resposta confirma o poema.
T. de Te amo,
Jura.
Leonardo B. disse…
[mas há um sitio que é só nosso: o horizonte, com tudo o que contém... gente na alma, gente entupindo o coração, gente que é nossa, pelo sim pelo não, gente que nos assassina com um só beijo, gente que se atira do terraço só para nos ver no penúltimo andar... é no horizonte vasto, cá dentro, que nos deixa]

um imenso abraço, Valéria
que de quatro se fazem dois braços
(ai, esta matemática...]

Leonardo B.
Aneyde disse…
que resposta linda! encantou!
Anônimo disse…
Olha só, a poeta posando de musa!!! Merecidíssima Declaração!

Parabéns pela resposta tão 'valírica'!
valéria tarelho disse…
todos vocês aí de cima: gente-de-valsa. bombons.

carinho,
val