Pular para o conteúdo principal

camisa de força


imagem : art.com


quero a [to]tal liberdade
de não ter escolha

simplesmente aceitar
o doido amor
que a vida doa

ficar com ar de boba
amar à solta
e me amarrar


valéria tarelho

*update em out/11: publicado no Livro da Tribo 2012 com nova versão [inclusão de um verso na última estrofe]:


quero a [to]tal liberdade
de não ter escolha

simplesmente aceitar
o doido amor
que a vida doa

ficar com ar de boba
amar à solta
e numa boa
me amarrar

Comentários

Anônimo disse…
Papo contraditório esse!!! Ah, nó cego!

Sempre bom demias ler seus escritos!
Graça Carpes disse…
Amar é muito bom; seu poema também!
Bjo
:)
valéria tarelho disse…
anônimo, qdo nasci uma voz disse assim:
"valéria tarelho, incoerência é o teu nome. sobrenome: contradição"

:P

Graça, a frase abaixo resume o que penso sobre o amor, louco amor:

"Em assuntos de amor são os loucos quem tem mais experiência. Sobre o amor, não perguntes nada aos sensatos: os sensatos amam sensatamente, o que equivale a nunca ter amado"
(Jacinto Benavente)


Obrigada pela visita e a poética intervenção :)

bjs
Anônimo disse…
Concordo plenamente que a contradição, nesses casos, é mais que pertinente.

O comente, lá em cima, foi apenas uma constatação acerca da temática.

Henrique
valéria tarelho disse…
"liberdade na vida
é ter um amor
para se prender"

[carpinejar]

Postagens mais visitadas deste blog

despertar

Amores e amorinhas que seguem meu blog, desculpas duplas: pelo mofo da humilde residência abandonada e pela avalanche de atualizações que farei em junho. São cinco meses de bla bla bla para publicar, tenham paciência,  compreensão e muito "amô" por mim.

Beijos, beijos!

Val