leitores via feed assinar feed do blogassine textura por email

01 abril, 2009

R.I.P.

por valéria tarelho em ,


epitáfio: "touché!"


plágio

susto
sentença
ou surto
o certo
é que foi súbito
(curto
-circo-circuito)
coisa de corte
co(m)média
contágio
choque
coisa de palco
(cartas
na manga)
(im)pulso
que sangra
e singra
artérias
das rimas

até a morte (po
ético-patética)
na cadeira elétrica
em completo
anonimato



valéria tarelho
*dedicado aos fakes, fracos, fiascos...

Bookmark and Share

8 comentários:

valéria tarelho disse...

a ocasião (morte do bezerro) não poderia passar em branco, então desenterrei o poema.

beijo, crianças!

B.Cardoso disse...

Adorei!
Tomara que dê para acessar a net do além túmulo (com ou sem hífem?).
Mas os fantasmas vagam por aí, então... rsrs
Beijos!

Henrique disse...

Muito bom! É redundante gostar dos seus textos; um trato singular da linguagem...coisa de gente grande!

Robson Ribeiro disse...

Bingo!
Beijos, Valéria!

Imoderada disse...

YAHOO! (e não é o site)
Hurray (urrei, mas de alegria)
Eco (a ti)
Beijos.

Judô e Poesia disse...

que bela poetiza! Beijos. Domingos.

Marcos Pontes disse...

Gosto das rimas de fonemas mais do que as de última sílaba. A aliteração desliza na língua e nos ouvidos. Uma delícia de ler.

Compulsão Diária disse...

!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
uma das mais lindas que li