leitores via feed assinar feed do blogassine textura por email

26 outubro, 2008

três pontos

por valéria tarelho




1

conto final

um ponto encerra
a sentença
que me condena
: pela reticência
vírgula
pelo et cetera

um ponto finda
o erra uma vez
e me livra
da reincidência


2

sinais


você é ponto
nesse nosso texto
eu, vírgula que sou
não encerro o contexto
ao qual me doo
erro pela continuidade
me desaponto
com a simplicidade
do seu desfecho :
é ponto e pronto
onde eu ansiava trechos

o encontro ponto e vírgula
foi apenas um prolongamento
uma pausa no tempo
vinculando alguns elementos
de nosso estranho enredo

3

porno gráfica


nasci
de um pingo [bêbado]
no i
que, trôpego, foi ao chão
e gerou ponto de exclamação
!
quem me vê assim
ereta & sóbria
equilibrista
da esquina do zelo
ignora dois pontos
:
prostituo a escrita
masturbando egos
pelos becos do verso

e bebo todas
pra esquecer os erros
que, ato contínuo, vomito
via meus dedos

[não nego que gozo
quando escrevo]


poemas: valéria tarelho

vídeo de Olivier Beaudoin

Bookmark and Share

4 comentários:

Felipe Vasconcelos disse...

Bravo, Val!!! Que lindos!!! Esses são novos, não é? Falo destes e de "Valium" e "Desisto". Lindos. Não tenho palavras; muito obrigado!
Beijão.

Anônimo disse...

puro talento.
talento nato e transbordante.

viral (sempre em êxtase ao ler você)

angelo alfonsin disse...

Tudo aqui é muito além de tudo.
As palavras são ouvidas pelos olhos, cada verso parece representar uma nota da escala musical.

Barone disse...

Delíciosas brincadeiras fonéticas.