leitores via feed assinar feed do blogassine textura por email

06 outubro, 2008

do poema passageiro

por valéria tarelho

dos momentos: este único
em que escrevo
e peno por

nenhum outro
agora
importa

nenhum outrora
"inquietencanta"
tanto quanto

dos átimos: este último
minuto em que salto
no ponto

e embarco no próximo
espanto


valéria tarelho
in Livro da Tribo 2009, lançamento em meados de outubro
http://www.livrodatribo.com.br

Bookmark and Share

5 comentários:

Guto Leite disse...

Lindo poema, Val. Li e já pelo percebi os sentidos que se entrelaçam. Terminei, voltei, li do novo e de novo. Belo poema, querida, bela semana!

valéria tarelho disse...

Guto, este poema estava largado em um canto há cerca de dois anos porque o inscrevi para o Poemas no Ônibus aí da tua terra e não deu em nada (aí fiquei traumatizada...rsss).
Graças à Tribo dei um up na auto-estima (mas ainda não posso ouvir tche, bah, tri, que tenho recaída) ;)

Obrigada, belo!

Lela Vasconcellos disse...

Olá, Valéria. Bom demais ter encontrado seu nome na matéria da "Bravo!". Do meu tempo na blogosfera, guardo a lembrança do mergulho em seus poemas. Perdi o endereço; reencontrei. Bom demais ler vc outra vez!
Abraço!

Mnemosine disse...

parece que leio minha alma por aqui.
gostei tanto... tanto...

Ângela Fontana

valéria tarelho disse...

lela, xará, teu link dá erro, onde você está blogando, mulher???????