leitores via feed assinar feed do blogassine textura por email

06 setembro, 2006

parabeijos, zoopoeta!

por valéria tarelho


fine art print by art.com

tela de seda
sidnei olivio

crisálida rompida
quente
úmida
enrugada
a borboleta - lagarta transformada
alisa-se
ao sol
ao vento
seca-se
apruma-se, plasticamente
para o vôo inicial

pintura terminada
morna
lisa
plenamente alada
lança-se no ar
feito um quadro voador -

pontilhismo de cores
vivas
engendrado
pelo pincel impressionista
de um Leonardo
celestial



ninfas de jardim
valéria tarelho
releitura do poema "tela de seda", de sidnei olivio

flores aladas
lepidópteras
bailarinas caleidoscópicas
- quem sabe fadas
em borboletas
disfarçadas -

metamorfoseadas
bailam delicadas
polinizando
"re-ciclando":

e de novo
o ovo
e do ovo
famélica larva
eclode eruciforme
com fome - muita fome
até crisalidar

da metálica pupa
rompida
ela estréia
entra em cena
totalmente adulta
magistralmente bela
sexualmente definida

borboleteia airosa
num adejar de asas
sedosas
pictóricas
imperceptivelmente escamosas

pintura esvoaçante
arquitetura divina
volitante
purpurina

obra surrealista
mistura de tintas
iridescentes
na paleta mágica
de um Dali
onipotente

* era noite de dezembro de 2002 quando cometi essa sandice, entre outras,
ins - pirada nos poemas do sidnei, s.ol. de setembro, seis

Bookmark and Share

2 comentários:

Anônimo disse...

OBRIGADO!!!!! Só vi agora. Não mereço tamanho destaque, mas sinto-me inflado como um sapo! rsss
Beijão Val!!
Sidão

vαℓéя!α tαяeℓhσ disse...

beijo! ~> e o sapo vira príncipe ;)