leitores via feed assinar feed do blogassine textura por email

27 julho, 2006

sem título

por valéria tarelho


tem poema
que nasce pronto
mal respira anda
com as próprias penas
se vira na lida
como cria
de outros bichos
:
poema filho
desse vício
que me morde
dessa droga
[ démodé?]
com que me pico
todo [demo] dia

tem poema
de bizarra beleza
e poema medonho
como o demônio
:
poema cruza
da mãe natureza
com coisa
do capeta
[camuflado
de poeta]

tem poema
que assino embaixo
tem poema
que passo por cima
tem poema
que assassino
antes do parto
:
aborto
o futuro monstro
mostro ao mundo
se é presente dos deuses

[às vezes publico
um ogro do tipo
sujeito ao lixo
:
sem pé
sem cabeça
sem título

gerado sem pai
nem porquê]


valéria tarelho
[da série: "assinei, mas não devia"]

Bookmark and Share

Nenhum comentário: