Pular para o conteúdo principal

plágio

susto
sentença
ou surto
o certo
é que foi súbito
(curto
-circo-circuito)
coisa de corte
co(m)média
contágio
choque
coisa de palco
(cartas
na manga)
(im)pulso
que sangra
e singra
artérias
das rimas

até a morte (po
ético-patética)
na cadeira elétrica

em completo
anonimato


valéria tarelho

Álibi - Djavan <~ para ouvir

Comentários

Anônimo disse…
caramba, a sua poesia é a melhor coisa do momento! é a melhor literatura do mundo pra mim!

beijo

tenório
Luiz Guerra disse…
Ainda bem que temos amigos blogueiros comuns, pois já conhecia textos seus (não me lembro se foi em focando.org) e não sabia onde encontrá-los. Os nomes na internet cruzam-se e recruzam-se com celeridade. Mas agora tenho seu endereço, finalmente. Que poesia, Valéria! Para mim, é um acontecimento, uma voz poética diferenciada, um show... Beijos.
Valéria, é um deleite passear pelo seu blog. Quanta sensibilidade, é de tirar o fôlego!

Gostei da música do Djavan como opção pra aumentar o prazer de ler seus poemas.

Poesia e qualidade por aqui saltam aos olhos e beijam a alma...

Obrigada por isso tudo :-)

Beijos,
Chris
marvin disse…
Lendo, ouvindo, e é tudo lindo e volto.
Beleza, demais... sempre.
Paula Cury disse…
Olá. Caí de para-quedas vinda de não sei onde. Pousei. Agora que conheci, volto sempre. Gostei imenso de tudo que li. Parabéns, mesmo.
Paulo de Toledo disse…
val, vim trazer um oi quentinho, a despeito do frio que faz lá fora. abraçocas.