Pular para o conteúdo principal
lenta
    súbita
gritante
    muda
evidente
    oculta
ardente
    tímida
seca
    úmida
?
desconheço
que tipo de visita
[íntima]
me arquiteta a morte
iminente em teus
minos braços
dédalos dedos
labirinto lábio


valéria tarelho

Comentários

Anônimo disse…
Adorei sua poesia. Você já é poeta. Se crescer mais vira Fernando Pessoa e vai precisar de muitos heterônimos.
Deixo uma minha para você:
Improviso, Nota Semibreve

Também não quero falar
aqui o silêncio
esmurra a língua
na ponta
o gosto
ainda
arde.

Tereza Pires
Suzana Prado disse…
Val, eu aqui muda, sem voz diante de tanta beleza...bjs!
marvin disse…
... nesse esconde-esconde, se esconda dela também... (por nós)...
Leônidas Arruda disse…
Valéria, seus poemas saltam, gritam e esperneiam no fundo da alma. Eta! aranzel de poesia.