Pular para o conteúdo principal

sem sazón

mastigo
cada naco
de domingo
como quem
tritura
o tédio

engulo
domingo
moído
e me livro
da tortura

salivo
a salvo
do inimigo
sem sal
:
ávida
por sabor
de segunda

valéria tarelho

Comentários

Carlos Besen disse…
Muito bacana. De fato, domingo não é um dia de salivar a salvo. Pois salivar é ter-se como o próprio alvo. Domingo é canibal.
Linaldo disse…
lindo poema, valéria. mas a segunda tem o gosto amargo da ressaca, não? bjs
Suzana Prado disse…
Saudades, minha bela!! E, com esse poema então, degusto todas as minhas nervuras internas...vc sabe como e onde tocar...bjs!!
Geórgia disse…
nem domingo, nem segunda. vou de primeira! Beijão.
Moacir Caetano disse…
ah, eu adoro domingos...
Sergio Di Fiore disse…
Val, relendo agora...
O que vc. tem contra o garfield???
Está perfeito para meus últimos domingos...
bacio
111x6 disse…
Valéria, passei por aqui para conhecer o seu blog e o meu coração ficou...um beijo com carinho !
http://111x6.zip.net/