Pular para o conteúdo principal

azo

lembrando ana cristina cesar (ave)
que hoje estaria completando 53 anos
o pássaro
pousa
passivo
na pauta
do poente
pausa
em compasso
de espera
passa tempo
tempo passa
pensa
pondera
ousa
e abre
as asas
rumo
ao sol
no fim
do túnel

valéria tarelho

Tu Queres Sono: Despede-te dos Ruídos
Ana Cristina Cesar

Tu queres sono: despe-te dos ruídos, e
dos restos do dia, tira da tua boca
o punhal e o trânsito, sombras de
teus gritos, e roupas, choros, cordas e
também as faces que assomam sobre a
tua sonora forma de dar, e os outros corpos
que se deitam e se pisam, e as moscas
que sobrevoam o cadáver do teu pai, e a dor (não ouças)
que se prepara para carpir tua vigília, e os cantos que
esqueceram teus braços e tantos movimentos
que perdem teus silêncios, o os ventos altos
que não dormem, que te olham da janela
e em tua porta penetram como loucos
pois nada te abandona nem tu ao sono.

Comentários

Moacir Caetano disse…
ai...
que jeito maravilhoso de impulsionar meu dia...
com palavras tantas, belas...
Maria Cláudia disse…
Gostei muito do compasso da tua escrita. :)
Renata disse…
Adorei o blog, que ainda não conhecia! Parabéns!

Beijos
Suzana Prado disse…
Pq eu adoro Ana Cristina César tb...bjs
Anônimo disse…
Agora poeta, deixou a formação de direito por pura deformação vocacional e do direito a mudança, mudou. Mudou de casa, de estado, de crença. Mudou até na preferência, tornou-se loira por simples opção da cor. Tingiu até os sonhos num afã de mudança extrema. Ao invés de petições, poemas. Ao invés de intenções, abriu sua própria estrada e cunhou o horizonte com as mesmas mãos que, perfurando o chão, fez nascer a fonte. De frente à fonte, defronte à frente e agora totalmente mudada, descobriu o que mais e melhor dentro de si vivia, a poesia. Agora loira e sempre poeta escreve com o tempo nas mãos e não mais divisa o espaço. Letras na rua, palavras nos passos e versos na textura fina que a lua agora ilumina.
bj
Sidnei
tati castro disse…
Deixo aqui a poesia q fiz com pensamento em Ana Cristina Cesar... Espero que goste... adorei a sua!!

Saudades de noticias suas!

ACC
Poesia à Ana Cristina César

No estalar de uma noite pro dia
me fiz fera
como a moça loira da patinete
e em seus versos encontrei repouso
e de seu repouso desdobrei meus versos

No estalar de uma noite pro dia
me fiz césar
ave césar
ave maria
ave fera.