leitores via feed assinar feed do blogassine textura por email

02 junho, 2005

azo

por valéria tarelho em

lembrando ana cristina cesar (ave)
que hoje estaria completando 53 anos
o pássaro
pousa
passivo
na pauta
do poente
pausa
em compasso
de espera
passa tempo
tempo passa
pensa
pondera
ousa
e abre
as asas
rumo
ao sol
no fim
do túnel

valéria tarelho

Tu Queres Sono: Despede-te dos Ruídos
Ana Cristina Cesar

Tu queres sono: despe-te dos ruídos, e
dos restos do dia, tira da tua boca
o punhal e o trânsito, sombras de
teus gritos, e roupas, choros, cordas e
também as faces que assomam sobre a
tua sonora forma de dar, e os outros corpos
que se deitam e se pisam, e as moscas
que sobrevoam o cadáver do teu pai, e a dor (não ouças)
que se prepara para carpir tua vigília, e os cantos que
esqueceram teus braços e tantos movimentos
que perdem teus silêncios, o os ventos altos
que não dormem, que te olham da janela
e em tua porta penetram como loucos
pois nada te abandona nem tu ao sono.

Bookmark and Share

6 comentários:

Moacir Caetano disse...

ai...
que jeito maravilhoso de impulsionar meu dia...
com palavras tantas, belas...

Maria Cláudia disse...

Gostei muito do compasso da tua escrita. :)

Renata disse...

Adorei o blog, que ainda não conhecia! Parabéns!

Beijos

Suzana Prado disse...

Pq eu adoro Ana Cristina César tb...bjs

Anônimo disse...

Agora poeta, deixou a formação de direito por pura deformação vocacional e do direito a mudança, mudou. Mudou de casa, de estado, de crença. Mudou até na preferência, tornou-se loira por simples opção da cor. Tingiu até os sonhos num afã de mudança extrema. Ao invés de petições, poemas. Ao invés de intenções, abriu sua própria estrada e cunhou o horizonte com as mesmas mãos que, perfurando o chão, fez nascer a fonte. De frente à fonte, defronte à frente e agora totalmente mudada, descobriu o que mais e melhor dentro de si vivia, a poesia. Agora loira e sempre poeta escreve com o tempo nas mãos e não mais divisa o espaço. Letras na rua, palavras nos passos e versos na textura fina que a lua agora ilumina.
bj
Sidnei

tati castro disse...

Deixo aqui a poesia q fiz com pensamento em Ana Cristina Cesar... Espero que goste... adorei a sua!!

Saudades de noticias suas!

ACC
Poesia à Ana Cristina César

No estalar de uma noite pro dia
me fiz fera
como a moça loira da patinete
e em seus versos encontrei repouso
e de seu repouso desdobrei meus versos

No estalar de uma noite pro dia
me fiz césar
ave césar
ave maria
ave fera.