Pular para o conteúdo principal

hipoderme ou flor da pele

abomino meios-termos
: quase
talvez
tepidez...

sou de extremos
: oito ou oitenta
o ínfimo
ou o supra-sumo
o chão ou apogeu

certa ou errada
escolho
muito ou pouco
tudo ou nada
e não hesito

: no quesito homem
pouco importa
se anjo ou se demônio
humano ou mito

desde que eu ame
ao extermínio

valéria tarelho

Comentários

Suzana Prado disse…
Val, como boa aquariana, eu também não aceito meio termos,nem ameaças de talvez, muito menos prêmios de consolação...acho q é da alma feminina, rsrsrs...mas vc arrasa na composição do poema. E eu aqui fico a degustá-lo, sentindo o perfume de incenso de canela. Bjs e bom final de semana....
Anônimo disse…
áááiiii kramba! (lembra do desenho do Lijeirinho? rs)


100sacional esse tb.


" Como canta o Erasmo: Um homem prá chamar de seu! Mesmo que seja eu ..."

1bjo,

parabéns 100pre.

Mirella
Moacir Caetano disse…
o extermínio
é o que nos guia
champagne
cicuta
e poesia

o extermínio
o ex
termino
no estertor
me elimino...