Pular para o conteúdo principal

angústia

sou pouco frasco
para muito fluido

pouco espaço
para tanto ruído

tudo em mim é parco
aperto obstáculo

tudoemmimcompacto
tudocontrátil

incompatível


valéria tarelho
tudo em mim torquato

Comentários

Anônimo disse…
Val,
seus escritos, às vezes, me deixa sem fôlego ou aperta meu coração. Parece reflexo de muito de meus sentimentos, no espelho...
Moacir Caetano disse…
pois é no infinito em nós que nos encontramos enfim...
Linaldo disse…
compacto e bem poético, valéria...
Anônimo disse…
Valéria:

tudo compacto, mas a poesia é imensa demais.

eu, poeta suburbano
esvaziado de destinos
ando com imensidões
pinceladas nos
meus espaços finitos


bj
Nel
Neusa disse…
Valéria, li sobre você no Fala Poética e vim conhecer. Gostei muito dos poemas densos, ritmados, perfeitos. Foi bom, também, ter visto aqui o Torquato, ídolo de há muito tempo. Beijos, moça, e parabéns pelo talento.
Olá, Valéria, sempre uma grande viagem cada visita que faço às suas páginas. Uma melhor que a ourtra. E o poema deste post está um primor. Alias, em você tudo prima pela beleza e maravilha talentosa.
Beijabrações
Luiz Alberto Machado
paulo de toledo disse…
nos menores frascos, os mais sonoros perfumes.
abração.
Sergio Di Fiore disse…
Nossa.... é só ficar um pouco fora do ar, que quando volto essa enxurrada de poemas...
Difícil é eleger um...
Tem papel suficiente p/ levar amanhã as propostas??? rs ;o)
Geórgia disse…
Eu já te disse que você é fera, num disse? ;)
Sandra disse…
Compacto e consistente... denso e concentrado... descentralizado... Desconcertantes versos... Lindos!! Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

despertar

Amores e amorinhas que seguem meu blog, desculpas duplas: pelo mofo da humilde residência abandonada e pela avalanche de atualizações que farei em junho. São cinco meses de bla bla bla para publicar, tenham paciência,  compreensão e muito "amô" por mim.

Beijos, beijos!

Val