Pular para o conteúdo principal

sem título

deus me prive
de provar do óbvio:
ópio dos pios
óbice dos ímpetos
óbito
de todo impacto

e me jogue
em um vórtice
indique
uma contenda
profira
um veredicto :

vagar no labirinto
dos versos incrédulos
e que amar a esmo
seja um perpétuo vezo

[nada razoável]


valéria tarelho

Comentários

Moacir Caetano disse…
Ah, que saudade das suas palavras...
e que honra ver meu link ali do lado...
Te adoro!
Beijos.
Anônimo disse…
muito legal o poema.
xô, óbvio!
kisses.
paulo de toledo disse…
muito legal o poema.
xô, óbvio!
kisses.
Nigaut disse…
Val , quanta inspiração. Sua vida é um poema, sabe menina? Muitos beijinhos, Vania
Achei esse aqui genial! Você é craque em aliterações!