leitores via feed assinar feed do blogassine textura por email

31 outubro, 2013

outubro

por valéria tarelho em


outubro tem encantos que se revelam aos poucos. hoje, dezoito, me transportou no tempo. há dez dias [08], eu estava renascendo.  outubro, seja assim: sereno. sou quase flor. 



    a primeira vez que brotou filha em minha vida foi em um outubro. e, também, a terceira. açucenas, melissas ou angélicas? só sei que outubro é cor de rosa. me nina. tem cheiro bom. 



    outubro, mês que é dez, mesmo quando é mais ou menos. ainda descubro o que é que outubro ten. 



    outubro chegando ao fim e não se contenta: hoje, 24, começa nova jornada. novo susto me aguarda? ou um sopro sobre o que mal cicatrizou? outubro será mistério até daqui a pouco, quando definirá meu tratamento. sim, tenho conserto. grande chance de [lou]cura. falta saber o método. outubro, seja manso. me leve no colo, coloque no leito. [en]cante. conte histórias que me ninem até amanhecer novembro [e seus novos segredos]. 
*duvido que acate: outubro insiste em revelar-se aos poucos. quer ser notável até o último instante. 



    vinte e oito, outubro está indo embora. me afeiçoei a ele a ponto de sentir dor no peito. bem lá dentro, onde habitam as dores dos bons tempos. outubro foi ameno, por inteiro. mesmo quando choveu, outubro o fez sem céu negro. forneceu um tom que só eu vejo. e águas mansas para o remanejo do que era turvo. 
outubro é novo amigo com um quê de velho. quando se for, ficarei a [vi]vê-lo.


souvenir

outubro partiu deixando uma cicatriz
para lembrar-me das viagens
por minhas colinas


valéria tarelho

Bookmark and Share

marasmo

por valéria tarelho em , ,




é tarde
- antônio -
o amor anoitece

êxtase algum
o deixa 
atônito


valéria tarelho
*da série: recados para antônio

Bookmark and Share

30 outubro, 2013

ainda tenho meus [en]cantos

por valéria tarelho em ,




nem sereia
nem sarada

mas com a língua
afi[n]ada


valéria tarelho
*foto: Madonna, via Instagram

Bookmark and Share

chuvessência

por valéria tarelho em


Bookmark and Share

29 outubro, 2013

phd

por valéria tarelho em ,

comigo
nem Freud
phode



valéria tarelho

Bookmark and Share

válvulas

por valéria tarelho em ,

prazer
prozac
poesia

fugas que a pessoa cultua
depende
não vive sem


valéria tarelho

Bookmark and Share

28 outubro, 2013

malhas

por valéria tarelho em ,





dear,


eu, de novo, para te contar as últimas
[as unhas continuam as mesmas:
idêntica fissura].

há um tempo ganhei novo aperto.
chegou no outono. veio em novelos.
fardos de saudade tua.

invernou [graus abaixo de zelo]
e passei a tricotar desejos.

.ponto a ponto.

entre meias, laçadas, carreiras, teço teu cheiro. 
entrelaço teu gosto.
tramo nós.

nos retorço. em tranças. entremeios.

meio ano se foi. você não veio.
[des]cubro-me só, refém das noites v[il]ãs
em que tricotei anseios.

ainda te espero, meu bem, enquanto primavero
e até nem sei. pois és sonho em todo outono. 
sina que [me] veraneia.
lá, onde jamais fomos, estarei 
a tecer este amor
até a mor-
te
ser.

love,
a tua.



valéria tarelho

*imagem de flickr.com/anitah

Bookmark and Share

27 outubro, 2013

Outubro Rosa e Azul

por valéria tarelho em ,

flagra na caminhada outubro rosa e azul, em São José dos Campos-SP
apoio canino, na conscientização :)

Bookmark and Share

26 outubro, 2013

p.s.: no pensamento

por valéria tarelho em


Bookmark and Share

25 outubro, 2013

posologia

por valéria tarelho em



a poesia
precisa
de pausa 
em drágeas

a loucura
procura
uma paz 
mais líquida

tem dias
que sou

- subcutânea -

e dias 
de pura
ira

intrave[ne]nosa
rasgo
a rima


valéria tarelho
*foto do local da "espetadinha" para o contraste da tomografia

Bookmark and Share

24 outubro, 2013

para essa gente, que sabe quem

por valéria tarelho em ,

existe gente assim: que não se vê e não se vive sem; que pouco se vê e tem muito a ver; que, vendo ou não, sempre vem [ pra valer]. gente que eu sei quem, onde, quando, como e cada porquê. gente assim, que amo e tenho como irmã, irmão. de sangue, sem ser. gente única, que não se nomeia. que atende o toque de recolher. entende do silêncio. conhece os sinais. detém as senhas. gente suave, que não invade. pertence. está sempre. e sabe, além do verbo, ver. 
gente assim: que arde. de verdade. 


 valéria tarelho

Bookmark and Share

subterfúgios

por valéria tarelho

stencil de sobrancelha
cílios postiços
perucas
lenços

para o resto dos pelos
um belo
até nunca

valéria tarelho


*vídeo de Flávia Flores, com dicas para quem fez/faz quimioterapia ficar 'biita' :)

Bookmark and Share

22 outubro, 2013

mudança

por valéria tarelho em ,




mudei eu
mudou você

                   [mudamos nós
                    ou o meio em que nos moldamos
                    se acomodou?]

e o poema
que nos so[nh]ava

 emudeceu


 valéria tarelho
*poema provocado pela imagem acima, de Clarice Freire, do 'pó de lua']

Bookmark and Share

17 outubro, 2013

justiça

por valéria tarelho em ,

o mesmo outubro
que balança
me equilibra

por intuito
ou instinto
sig[n]o
às cegas


valéria tarelho

Bookmark and Share

biografias: quem tem cÉu, tem medo

por valéria tarelho em ,

minha bio é degradante
a grafia ilegível
não valho um grifo

não percam tímpano comigo



valéria tarelho

Bookmark and Share

trivial

por valéria tarelho em , ,

se a vida pensa que me assusta
se engana
:
meus fantasmas são tão íntimos
que os chamo pelo apelido

e me trazem café na cama


valéria tarelho

Bookmark and Share

05 outubro, 2013

survivor

por valéria tarelho em ,

sexo
é selva

amor
é oásis

almoço
e água
para corpo
e alma

corre nas veias
fome leoa
sede saara

save
me
[my love]

[my slave]
salve
se



valéria tarelho

Bookmark and Share

04 outubro, 2013

nuance

por valéria tarelho em

a cor que tange a coragem
quase me atinge

hoje faltou um tom
amanhã quem sabe
[o sete] pinte


 valéria tarelho

Bookmark and Share

02 outubro, 2013

identidade

por valéria tarelho em , ,

prefiro correr o risco
a não mover um músculo
em meu rosto
o vasto currículo
 :
 córregos sofridos
 sacrifícios em ondas
 vincos de rios vazios

 minha fronte move ruas
 expressa vias
 bifurca rumos

 exibo na face nua
 meu real registro
 :
 o rg das rugas


 valéria tarelho
*Livro da Tribo 2014

Bookmark and Share

outembro

por valéria tarelho em , , , ,

que outubro
se abra
em flor
e reprise
as sedas
assíduas
de setembro

ainda que
sempre
novembre


valéria tarelho
*Livro da Tribo 2014

Bookmark and Share

01 outubro, 2013

campanha em prol do poema

por valéria tarelho em , ,



que outubro 
[seja rosa
ou surja nude]

rubre a rima


valéria tarelho
[espero que você se toque]

Bookmark and Share