Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2012

Destino do poeta - Octavio Paz

Palavras? Sim. De ar
e perdidas no ar.
Deixa que eu me perca entre palavras,
deixa que eu seja o ar entre esses lábios,
um sopro erramundo sem contornos,
breve aroma que no ar se desvanece.
Também a luz em si mesma se perde.


 (Octavio Paz, tradução Haroldo de Campos)

imagem: dedicatória de Octavio Paz a Haroldo de Campos, foto de Rubens Chiri 
 via blogs.estadao.com.br

black friday

breque o impluso
de consumo

há risco
de um futuro
no vermelho


valéria tarelho

imagem via pcmag.com

flor-de-alice

Alice Ruiz - Foto de Vilma Slomp

li
aquiali

cedi

aos vice versos
que [es]colhi
pela ruiz


valéria tarelho

* Vice Versos – Alice Ruiz, 1988 (Prêmio Jabuti de Poesia – 1989)
** publ. no " poema curta-metragem " em 19.11.12


quisera ser um peixe

guerras
geograferas
geomentiras
geolorgias

em
terra

a paz pertence
aos entes
providos de
guelras



quintana x cinquentona

imagem: wise old owl, de Trish Grantham

quintana x cinquentona


tu passarinho eu passadinha




bis

rua dos bobos, número zero

alguns encantos mudam sem mandar aviso e fico só - no pó do aguardo - nutrindo espírito & ácaros 
contas livros propagandas cobranças : chegam de hábito onde habita  o previsível
cadê [vinícius] a casa muito engraçada do improviso ?

valéria tarelho
novembro/2010



*imagem daqui

Afinidade

poemas publicados na nova leva da revista Diversos Afins
leia aqui: Janela Poética III e folheie a revista inteira, que nesta 73ª Leva passeia pelas letras, palcos e telas.


Ferreira Gullar na Casa das Rosas

clique na imagem para ampliá-la

utopia

onde a poesia impera
violência é fictícia
bala é doce

polícia e ladrão
não passam de mera
diversão:

brincadeira
de criança


valéria tarelho

* imagem via flickr de Rafael Romero

narcótico

logo o vício
por ócio
por ofício

estímulo esc-rito
tipo de exorcismo

logo a morte
que me move
mantém viva

óbito pelo óbvio:
overdose de mote

logo o céu
logo o inferno 
hipnótico

dos mortos de ódio
dos eternos amantes

poesia:

meu ópio piegas
meu gás hilariante


* imagem via keep calm shop

eu passarinho

"Just like me, they long to be close to you..."



* fotos de minha home "tweet" home
** o pardal foi resgatado da boca da Branca


*** sobreviveu : )

pé de poema

atualizei o pé de poema :
 um poeminha canino + campanha do saco de jornal "cata-cacas"  :)

em casa

clique na capa e conheça os dez poemas selecionados no  I Concurso de Poesia da Casa das Rosas [ entre eles, meu "habitat"]:



momento vó coruja

soNETO visual

[clique nas imagens para ampliá-las]







e vem outro/a por aí...