Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2011

refém

imagem via @madcorvus

poesia é ave
cativa
no poema

                   | versos são  |
                   | na verdade |
                   | grades        |

o poeta
é a chave
métrica

                    liberta
                   e mantém
                   o cárcere


valéria tarelho

meia estação

imagem via tumblr - worldofvieta 
outono tem seu ônus e bônus
peco  porque perco  o viço
lucro com novo vício : visto a vida com  outros  p[l]anos

valéria tarelho

*publ. no poema curta-metragem
09.04.11



"O tempo corre, a gente vai descobrindo jeitos de se proteger." (Caio Fernando Abreu)

arte íntima

via Google imagens

este poema
desenha a boca
que ordenha
sua seiva viva

esboça a língua
que delineia - à risca -
os contornos
da escrita arisca

pinta o entremeio
das nuas entrelinhas
com - morna lisa -
textura de saliva

mundo

no mais      
ab
surdo
silên
cio       
h
ouve
tudo


valéria tarelho


“Frente a frente, derramando enfim todas as palavras,  dizemos, com os olhos, do silêncio que não é mudez.”  Ana Cristina César




* E como hoje é 14, tem post meu no Poema Dia , encontro você por lá :)

spam

ilustração de Debbie Ridpath Ohi



invadem meu e-mail
promessas de espasmos orgasmos mil milagres de são viagra
e - pasme -
sabem que é pequeno o pênis  que não tenho

valéria tarelho

meia estação

Hoje estou outonal [outonão?], no Poema Curta-metragem.

* imagem via  http://f1o.tumblr.com

da série: olhares

camaleônico
indeciso teu olhar de indecifrável cor. olha-me oliva, mira mel, fita furta-cor. vê? azeita, quando não azeda. em todos os sentidos, mela. ora verde de não dar bandeira. ora âmbar, que dá liga. alguma trela. ambígua tua íris colorida de ambos tons. mescla de musgo e folha seca. amaretto di amore. licor de menta. tea, quando [os]tenta o disfarce erva-mate com um truque toque cinnamon. suave, mente. omite, en passant. mítico. mimético. enigmático. a seduzir o pigmento de meu olho. nu. 


~*~
eu no seu olho nítida
[e antes do instante invertida]
eu tímida investida de nova espera
[de nove horas despida]
eu úmida no seu chove não molha diluída
[na língua ambígua do seu camaleolho eu

traduseduzida]

valéria tarelho


* para não dizer que só falei dos azuis ** olhares: sigam as tags, os poemas da série estão espelhados por aí :)
*** bonus:  "Este seu olhar" [Tom Jobim], com Diana Krall no piano e sotaque.



parabéns, bloguinho!

seis aninhos
meu blog prodígio nasceu fingindo sabendo escrever

~> textura, desde 01.04.2005 insistindo na poesia de mentirinha ;)

hoje, na casa das rosas

[clique na imagem para ampliá-la]